Páginas

domingo, 4 de janeiro de 2015

Minha esposa reduziu o estômago! E agora?

Olá a todos! Aqui é o Peterson, marido da Marcela. Antes de mais nada: comigo não tem isso de Parte 1, Parte 2... aqui o remédio desce de uma vez, em uma colherada só! Então pegue seu pão integral, seu suco natural de abacaxi e divirta-se com a leitura!


Já faz um bom tempo que quero postar aqui sobre o outro lado da moeda, um lado que talvez nem sempre é retratado nos blogs: o lado de quem não fez a cirurgia mas convive com quem fez.

Como vocês puderam ler aqui no blog, esperamos 2 anos para que ela desse esse passo em nossas vidas. Sim, em nossas vidas porque também alterou a minha, e bastante.

Tenho 29 anos e sou super sedentário (trabalho o dia todo sentado, fico bastante no pc) e tenho hoje 102 Kg. Já pesei 80Kg, e sinto falta dessa época.

Uma coisa que atrapalhou muito eu e a Marcela foram familiares que diziam que estávamos gordos, que precisávamos emagrecer, que comíamos muita besteira... Mas éramos apenas grandes e diferentes dos demais de nossas famílias, nunca fomos obesos. Aí quando essas mesmas pessoas pegam nossas fotos de 7 anos atrás e olham, advinha o que elas falam: "Olha, vocês eram magros nessa época". Aí me sobe a vontade de falar: "então porque nos chamaram de gordos, fazendo-nos cair em depre e comer tudo que víamos na frente?". Mas bem, superamos isso, as pessoas viram que erraram feio e ficou o aprendizado (e fica pra vocês tambem).
Viu, a gente não era gordo!


Alguns poderão se perguntar ao longo da postagem: "Você também vai fazer a cirurgia?" ou "Por que você não aproveitou o embalo e fez também?" A resposta mais simples que posso oferecer é "Não, obrigado." Nunca quis fazer isso e demorei muito tempo para assimilar a ideia da Marcela fazer. Por que? Porque convenhamos que é muita loucura a pessoa se mutilar porque não consegue parar de engordar. Maaaaaaaaaas existem casos como o da Marcela e de tantas outras pessoas que realmente foi necessário passar pelo processo devido ao fato de não conseguirem reverter com métodos convencionais etc E a Marcela pode afirmar aqui: tenho facilidade para emagrecer com exercícios e reeducação alimentar (como uma vez ano passado que perdi 4 Kg em 2 semanas com bike e reeducação, mas aí roubaram as bikes e desanimei...). Mas com o novo estilo de vida da Marcela, terei o empurrão que eu precisava para chegar onde quero, junto com ela claro!

Mas vamos ao motivo real do post: Minha esposa reduziu o estômago, e agora? O que muda? O que é bom? O que é ruim?

Algumas dessa respostas dependem do seu ponto de vista. Pra mim nada piorou, só melhorou. Confesso que no começo, na parte líquida da dieta, eu ficava muito sem graça de comer as coisas sólidas perto dela, a ponto de fugir de casa de madrugada em busca de um pão com carne, queijo, milho, batata palha... conhecido por alguns como "hambúrguer" Mas quando ela chegou na fase sólida aí comecei a acompanhar.

Do ponto de vista alimentar, você passa a ser mais saudável. Você começa a descobrir que sua casa é dotada de cozinha, panelas e que não precisa sair de casa todo dia pra comer. Você acaba descobrindo receitas saudáveis, sites e canais de YouTube incríveis e ainda pode ajudar os outros. Vem as descobertas que creme de ricota light (principalmente o Regina) é gostoso, e vira quase um catupiry se colocar na misteira, que pães integrais com geléia de frutas é uma delícia, que sucos naturais te fazem sentir muito melhor do que refrigerante... pode anotar o que vou dizer: largar os maus hábitos é questão de costume e força de vontade. E o melhor de tudo: você se sente mais leve, mais disposto, dorme melhor e pode comer sem culpa na consciência de estar se suicidando aos poucos.

Viva!


Com isso vem outro ponto legal; o lado financeiro. Maaaaaaaaaanooooooooo você economiza muito mudando seu estilo de vida. Ok, você gasta mais no supermercado porque a partir de agora as paradas tem que ser diet, light, adoçante, integral, aquele pão e biscoito cheio de alpiste que mais parece comida de pássaro etc Mas no final do mês, ao colocar na ponta do lápis, sobra mais dinheiro porque cada vez que duas pessoas saem para lanchar ou almoçar a conta não fica menos de R$20 (pelo menos aqui). Aí você pensa comigo: R$20 por um lanche/almoço! Com esse valor eu compro no supermercado produtos que me permitem jantar por mais de 2 dias com minha esposa em casa. Aí você aplica essa fórmula pra café da manhã e almoço e no final acaba se perguntando "Como meu salário durava até o final do mês comendo daquele jeito?!?!?!" Acredite, você vai agradecer.

Falando em financeiro, não posso deixar de falar dos investimentos. Sim seu(sua) pão-duro(a). INVESTIMENTO. Compramos uma AirFryer (fritadeira sem óleo) e descobrimos que é possível comer quase tudo de forma saudável como frango etc Não, não precisa ser da Walita porque está mais que comprovado que Mondial, Philips e outras marcas confiáveis fazem o mesmo serviço, diferenciando apenas em design e preço. Optamos pela Mondial por ser a única com botão de trava na cestinha de alimentos, pra não puxar e o treco cair quente nos seus pés. Você acha esse modelo analógico (porque tem digital também, que não muda NADA no funcionamento) na internet em sites bons por menos de R$300 (bem menos que os mil e borrachada da Walita).

Modelo AF-03 da Mondial

Também investimos em nossas novas bikes que estavam paradas há um tempinho. Invista em capacete, bermuda de ciclismo, camisa de ciclismo, luvas, iluminação na bike etc. Não se preocupe se as cores não combinarem, o importante é ser visto. Isso é bom porque você fica mais animado com os brinquedos novos e tem mais fôlego para seguir em frente. O exercício é super importante, não só para a parte visual (pelancas etc) mas para se ter uma condição cardiorespiratória melhor, imunidade melhor... só benefícios. Se você não gosta de academia como nós, pegue a bike e comece com  5 Km por dia. Depois vai aumentando gradativamente até conseguir fazer o mesmo percurso em menos tempo e daí pra lá. Vale procurar no facebook grupos de pedal em sua cidade. Aqui em GV por exemplo tem um grupo que faz 30 Km uma vez por semana, mas bem devagar, pra iniciantes. Já outro grupo faz 60 Km em 2 horas ou menos, já intermediário... até os passeios de mais de 100 Km que ocorrem uma vez ao ano com carro de apoio, lanche etc. Eu prefiro bike porque você vê lugares novos, gente nova, ares novos. Mas isso vai de pessoa pra pessoa!

                                                 
Um branco (para frente da bike) e um vermelho (para trazeira). O par? R$12.
                                                     
                                                     

                                                 
                                                   Roupas e proteção: investimento

Bem pessoal, é isso aí. Espero que sirva para alguém e desculpem pelo post mega gigante, mas era muita coisa entalada kkkkkk E obrigado pelo apoio que tem dado a minha esposa, tem feito muita diferença!
Até a próxima!

Peterson Abelha

Nenhum comentário:

Postar um comentário